terça-feira, 19 de maio de 2015

É errado querer ser rico? Vale a pena ser rico? O que é riqueza?

Bom dia galera,

Tudo bem?

Recentemente tive uma conversa muito tensa sobre capitalismo e socialismo em um restaurante coreano com algumas amigas que trabalham na área da saúde, e esse assunto me deixou muito intrigado sobre algo que estava muito bem definido na minha cabeça: ser rico.
errado-querer-ser-rico-vale-a-pena

Não preciso dizer que eu sou a favor do capitalismo e elas do socialismo não é?

Já li os melhores best sellers sobre empreendedorismo e dinheiro, tais como Pai Rico, Pai Pobre (Robert Kiyosaki) e Os Segredos da Mente Milionária (T. Harv Eker) e tudo estava bem claro que eu queria muito ser rico, queria dar para a minha família o que ela nunca sonhou, como uma moradia melhor, segurança, viagens para o mundo inteiro, etc.. coisas que o dinheiro pode proporciar.

Mas essa conversa mexeu comigo... Afinal um trabalhador de t.i que pensa mais nele e em sua família estava discutindo com funcionárias da área da saúde, pessoas que dão seu suor e sangue pelo bem de outras.

Discutimos questões que estavam remoendo a minha cabeça, tais como:

  1. É certo pensar mais na minha família e esquecer o resto?
  2. É certo querer trabalhar menos para ganhar mais?
  3. É certo ganhar dinheiro com rendimentos de investimentos sem fazer nada? Enquanto existem pessoas implorando por centavos na esquina de casa?
  4. Qual motivo de querer abrir a uma empresa? Querer ser chefe? Ganhar mais dinheiro?
  5. Como ser humano eu não deveria pensar mais no próximo?

Estava realmente intrigado com essas perguntas, afinal isso mexe com os pensamentos de qualquer pessoa. Achei um caminho para respondê-las, que anteriormente deveremos estar ciente de que tipo de humano somos:

  • A - É o tipo de humano que coloca o próximo no mesmo patamar da sua família, muitas vezes pode estar se prejudicando mas está satisfeito se no final estiver ajudando alguém. São as pessoas que realmente querem um mundo melhor, geralmente fazem a sua parte e a dos outros.
  • B - É o tipo de humano que primeiramente pensa nele, na sua família e posteriormente nos outros. No final ele faz questão de ajudar alguem, porém só depois de ajudar a sua família.
  • C - É o tipo de humano que fica na dele, mas tem boas intenções. Se tiver alguma oportunidade de ajudar alguém ele ajuda, mas se não surgir nada ele também não faz nada.
  • D - É o tipo de humano que não quer ajudar o próximo, simplesmente vive a sua vida.
Agora fica mais fácil de responder essas perguntas. Sou a pessoa do tipo B, estava intrigado com a conversa pois admiro muito as pessoas do tipo A e me senti muito egoísta por não ser como elas.

Para cada tipo citado anteriormente existe uma maneira de lidar com essas perguntas, onde não existe certo e errado. Eu sendo B responderia as perguntas da seguinte maneira:
  1. Não. Sempre há uma maneira de ajudar alguém sem afetar a sua vida e a da sua família.
  2. Sim, contando que no final o dinheiro utilizado seja para a família ou próximo.
  3. Sim, contando que no final esses investimentos sejam utilizados para ajudar a sua família e o próximo.
  4. Abrir uma empresa pode ser um meio para você prosperar e alcançar os seus objetivos maiores.
  5. Deve pensar no próximo sim, mas você não está errado em priorizar a sua família, você deve muito a eles então quite sua divida primeiro com eles.
Conversei com meu amigo Robson e ele disse que sou um cara muito radical, as vezes me expresso tao radicalmente que dou uma impressão totalmente errada do que gostaria de passar. Não existe problema algum em querer ser rico, o problema é se esse for o objetivo final.

Por causa disso vou mudar o meu jeito de falar, a partir de agora não vou mais falar que quero ser rico, afinal o que eu realmente quero é honrar a minha família, retribuir tudo que os meus pais me deram. O dinheiro nada mais e nada menos vai ser um meio para que eu consiga retribuir da minha maneira (dando uma boa moradia, segurança, pagando plano de saúde, etc..).

Na verdade não está errado em falar que quero ser rico, pois uma hora ou outra eu vou ter que ter muito dinheiro para retribuir da maneira que quero, porém esse não é o meu objetivo final. Uma das coisas interessantes que o Robson citou é que muitas pessoas ao longo do tempo se desviam do seu caminho por causa de focos errados, ou seja, se eu ficar falando que quero ser rico toda hora, eu posso me desfocar do foco principal de honrar a família.

Discutimos também que ser rico se deve principalmente a um fator: sorte de nascer em uma família bem estruturada.

Discordo, acho que essa sorte é importante mas não é o fator principal, afinal a maior parte da classe média não consegue subir de classe por causa de inúmeras dificuldades de se tornar rico, como por exemplo a comodidade.

O mais importante é que sempre temos que ser gratos por tudo que temos e pelas oportunidades, nunca devemos culpar a vida ou ninguém pelas coisas que acontecem com a gente.

Li um texto sensacional sobre um rico falando sobre querer ser rico no blog papodehomem, onde o autor cita a seguinte frase: "Primeiro, uma das únicas coisas realmente boas de ser rico é que você não precisa mais se preocupar com dinheiro tanto quanto antes.".

É justamente isso que eu quero! Não quero ficar me preocupando com dinheiro o resto da minha vida. Quero dar essa sensação para os meus pais também, alias não foi essa sensação que eles nos deram quando éramos mais jovens?

Agora está bem claro que quando discutir sobre ser rico com alguém, devemos focar nos objetivos da mesma.

Galera vale a pena assistir um video recomendado pelo meu amigo Márcio sobre trabalho do Prince Ea: "Working to live or living to work"? que o meu amigo Márcio me passou.

Muito obrigado pela leitura!

Não deixem de comentar ou seguir o blog, abraços!

Att,
Caio Uechi









domingo, 3 de maio de 2015

Motivos para amar e odiar o Tomorrowland do Brasil

Boa tarde galera!

Tudo bem?

Sempre sonhei em ir para o Tomorrowland! heheeh, agora que veio pro Brasil não pude perder a chance de conhecê-lo.

Seguem alguns pontos sobre o grande evento que bateu recorde absoluto em vender aproximadamente 180 mil ingressos em apenas 3 horas.


Motivos para amar o Tomorrowland no Brasil (espaço Maeda em Itú):

  1. Maior espetáculo da América Latina. Os cenários, as iluminações, a potencia dos subwoofers uma coisa de outro mundo! Clique aqui e confira a playlist com 30 vídeos do TomorrowlandBrasil2015
    Tomorrowland-fumaça-show-efeitos-música
    1. Caminho bem sinalizado. Pensei que ia me perder, mas logo que você entra em ITU já tem uma plaquinha sinalizando "Tomorrowland Brasil".
    2. A Compra dos ingressos pela internet foi lindo. Recebi a confirmação por e-mail sem nenhum problema.
    3. Muitas pistas. Se você procura variedade, lá com certeza você vai achar algum Dj legal tocando no momento.
    4. Muitos banheiros. Peguei uma fila de 3 caras no máximo para usar o banheiro, eles investiram bastante nos banheiros móveis, achei bacana.
    5. Presença de bombeiros.
    6. Eles colocaram uma tenda de antedimento médico.
    7. Venderam bebidas sem a latinha, achei legal essa preocupação com o meio ambiente.
    8. Caminho bem sinalizado

    Motivos para odiar:

    1. Você paga quase 200 reais de estacionamento para depois ter que andar 30 minutos para chegar no evento é sacanagem.
    2. Djs tocaram muitas musicas repetidas, eu mesmo contei umas 15.
    3. No site diz que é tolerância a zero diante das drogas e que até tinha cães farejadores. Puff! Tudo isso é mentira! Vi muitos drogados dançando e muita gente fumando maconha no meio da pista. Não tenho nada contra maconha ou maconheiro, o que eu acho sem noção é o cara acender o negócio do seu lado e você tem que ficar sentindo aquele cheiro forte a balada inteira. Pow! Quer fumar, fuma em um lugar encher o meu saco!
    4. Tudo do evento é vendido pela moeda deles chamada token. Achei o preço uma facada, além de você ter de comprar no mínimo 9 tokens a 50 reais. O pastel era 2,5 tokens para você ter uma noção.
    5. O evento tinha quase 200 mil pessoas. Vi no maximo uns 30 policiais.
    6. Perto do palco tinha muitos caras balançando as bandeiras dos países, nossas isso enche o saco além de tampar a sua vista tem umas que acertam a sua cara. Teve um mexicano chato que tava balançando uma bandeira que tava pegando na minha cara, dai eu fui lá e arranquei ela, ele ficou bravinho, mas dai viu que do meu lado tinha mais 10 caras incomodados com a mesma coisa dai ele ficou quietinho hahaha.
    7. Se você quisesse comprar água, eles te davam a garrafa e jogavam fora a tampinha, achei isso uma sacanagem e uma burrice, porque isso gera mais fila e mais trabalho pros funcionários.

    Apesar dos pontos negativos apontados, recomendo fervorosamente que você vá no evento, o espetáculo compensa tudo! Você vai ver uma coisa de outro mundo!!

    Abraços!